Neuroimagem


  • Estimulação Magnética Transcraniana


  • Pesquisadores: Flávia de Abreu Augusto Paes; Sergio Machado; Tathiana Baczynski
    Colaboradores: Alair Pedro Ribeiro; Dr. Oscar Arias-Carrión; Dr. Alexander T. Sack
    Orientador: Antonio Egidio Nardi




    Um dos grupos mais freqüentes de distúrbios psiquiátricos são os transtornos de ansiedade, com uma prevalência superior a 20% (Greenberg, 1999). Os transtornos de ansiedade são compostas de transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), transtorno de pânico (TP), fobia social (FS), fobia específica e transtorno de ansiedade generalizada (TAG). Esses distúrbios podem ser muito debilitante e, embora os métodos disponíveis de tratamento sejam seguros e eficazes (farmacoterapia e psicoterapias), aproximadamente 25% dos pacientes são refratários a este modelo tradicional (Ressler, 2007). Com os avanços na compreensão dos mecanismos neurobiológicos envolvidos nos transtornos de ansiedade, novos tratamentos têm sido propostos. Um tipo de tratamento proposto é a estimulação magnética transcraniana repetitiva (EMTr), um método não-invasivo, seguro e indolor (Barker, 1985), com base na lei de Faraday de indução eletromagnética, que influencia a atividade elétrica no tecido cerebral através do campo magnético, há a indução de corrente elétrica que despolariza novos neurônios. Dentro deste contexto, a EMTr pode modular a excitabilidade cortical e função, no entanto, depende do efeito da estimulação, localização, intensidade e freqüência de pulsos magnéticos, que ainda não estão completamente esclarecidos. (Lai, 2006). Desde sua introdução, EMTr apresentou um potencial terapêutico em várias doenças neuropsiquiátricas, como depressão, esquizofrenia e transtornos de ansiedade, com base na segurança da estimulação das áreas-alvo. Sua aplicação gera efeitos claros sobre uma série de medidas de função cerebral e se tornou um importante instrumento de pesquisa no tratamento neuropsiquiatrico (Hallett, 2000; Chen, 2004; Rossini e Rossi, 2007). Com isso em mente, o tratamento com a EMT pode ser considerada um tratamento de neuromodulação devido a seu foco nos circuitos neurais dos transtornos. A EMT muda a perspectiva de tratamento por alterar a neuroquímica na sinapse, a alteração ou modulação da função do circuitos neurais no cérebro que se acredita estar desorganizado em certas doenças. Com base na idéia de um desequilíbrio inter e / ou um déficit em um controle córtico-límbico como um modelo para a ansiedade humana, o uso de 1Hz-EMTr sobre o córtex pré-frontal têm demonstrado supostos efeitos de acordo com alguns estudos envolvendo indivíduos saudáveis, pacientes com TEPT e transtornos do pânico (Beard e col, 2005). Por outro lado, Pallanti (2009) argumenta que a EMTr sobre o córtex pré-frontal dorsolateral direito (DLCPF), principalmente acima de 5Hz-EMTr, reduz os sintomas de ansiedade no TEPT e transtornos do pânico, embora os resultados ainda não são claros. Em relação a fobia social, não existem estudos a respeito da aplicação da EMTr em pacientes com tal diagnóstico. O que faz a investigação do referido tema de grande importância. Se o projeto, visa investigar se EMTr é uma terapia adicional eficaz ao tratamento medicamento e a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) em pacientes com fobia social, generalizada e circunscrita. A hipótese do presente estudo é a de que a utilização da EMTr somada a TCC e mais a medicação, apresentará mais eficácia como tratamento a F.S., pode alterar o funcionamento cerebral possibilitando um comportamento social mais adaptado, ocasionando uma melhora na qualidade de vida de pessoas portadoras do diagnóstico de Fobia Social.





  • Modificações de EEG Quantitavivo


  • Pesquisador: Marcele Regine de Carvalho
    Colaborador: Alair Pedro Ribeiro de Souza e Silva (Coordenador do Laboratório de Mapeamento Cerebral e Integração Sensório-Motora – LMCISM - http://www.eefd.ufrj.br/lmcism ).
    Orientador: Antonio Egidio Nardi




    O estudo tem com objetivo geral verificar as alterações registradas através de EEG Quantitativo em pacientes diagnosticados com TP após a aplicação de um protocolo de tratamento fundamentado na Psicoterapia Cognitivo-Comportamental, tendo em vista constatar as possíveis alterações cerebrais funcionais propiciadas por esta forma específica de tratamento psicológico. O estímulo utilizado para a realização dos exames é um filme de realidade virtual, com situações potencialmente ansiogênicas para pacientes agorafóbicos.





  • Transtorno de Pânico e Métodos de Imagem Funcional


  • Pesquisadores: Alexandre Martins Valença; Isabella Nascimento; Marcele Regine de Carvalho; Rafael Christophe da Rocha Freire; Valfrido Leão de Melo Neto.
    Orientador: Antonio Egidio Nardi.




    Descrever anormalidades em núcleos ou regiões cerebrais durante ataques de pânico em laboratório ou através de estímulos de imagens ansiogênicas apresentadas aos pacientes. Os pacientes submetidos a esses testes realizaram uma avaliação em um momento sem medicamentos e após o tratamento medicamentoso ou psicoterápico regular.


    Publicações:

      1 - De Carvalho, M.R.; Dias, G.P. ; Cosci F. ; de Melo Neto, V.L. ; Bevilaqua, M.C.N. ; Gardino, P.F. ; Nardi, A.E. Current findings of fMRI in Panic Disorder: contributions for the fear neurocircuitry and CBT effects. Expert Review of Neurotherapeutics, 2010, 10(2), 291–303.

      2 - Freire, R.C.; De Carvalho, M.R.; Joffily, M.; Zin, W.A.; Nardi, A.E. Anxiogenic properties of a computer simulation for Panic Disorder with Agoraphobia. Journal of Affective Disorders, 2010, 125(1-3):301-6.

      3 - De Carvalho, M.R.; Rozenthal, M.; Nardi A.E. The fear circuitry in panic disorder and its modulation by cognitive-behaviour therapy interventions. World Journal of Biological Psychiatry, 2010, 11(2): 188-198.

      4 - De Carvalho, M.R.; Freire, R. C.; Nardi, A.E. Virtual reality as a mechanism for exposure therapy. World Journal of Biological Psychiatry, 2010, 11(2): 220_230.

      5 - Carvalho, M.R. ; da Costa R.T.; de-Melo-Neto, V.L.; Sardinha, A.; Nardi, A.E. Driving Cognitions Questionnaire: Estudo de Equivalência Semântica. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, 2010, In Press.

      6 - Nardi AE, Freire RC, Valença AM, Amrein R, de Cerqueira AC, Lopes FL, Nascimento I, Mezzasalma MA, Veras AB, Sardinha A, de Carvalho MR, da Costa RT, Levitan MN, de-Melo-Neto VL, Soares-Filho GL, Versiani M. Tapering clonazepam in patients with panic disorder after at least 3 years of treatment. J Clin Psychopharmacol. 2010, 30(3):290-3.

      7 - Costa, R.T.; de Carvalho, M.R.; Nardi, A.E. Exposição por realidade virtual no tratamento do medo de dirigir. Psicologia: Teoria e Prática, 2010, 26:35-42.

      8 - Costa, R. T. ; Sardinha, A. ; Nardi, A. E. Virtual Reality Exposure in the Treatment of Fear of Flying. Aviation, Space, and Environmental Medicine, 2008, 79: 899-903.

      9 - Carvalho, M.R.; Freire, R.C.; Nardi, A.E. Realidade Virtual no Tratamento do Transtorno de Pânico. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 2008, 57(1): 64-69.

      10 - Carvalho, M.R.; Rangé, B.; Nardi, A.E. Comparação entre os enfoques cognitivo, comportamental e cognitivo-comportamental no tratamento do Transtorno de Pânico. Revista de Psiquiatria Clínica, 2008, 35(2): 66-73.






  • Neuroimagem no Transtorno de Pânico


  • Pesquisador: Pesquisador: Valfrido Leão de Melo Neto
    Orientador: Antonio Egidio Nardi




    O objetivo do presente estudo é avaliar a neurofisiologia dos ataques de ansiedade, em pacientes com Transtorno de Pânico, durante ataques de pânico laboratoriais induzidos por meio da inalação de CO2. Assim, confirmar a participação da amígdala, córtex pré-frontal, giro do cíngulo anterior, hipocampo, substância cinzenta periaqueductal, insula, giros frontais e temporais, numa possível explicação fisiopatológica para o desenvolvimento do TP.





  • Correlação entre Movimento Real, Imaginado e Observado


  • Pesquisadores: Sergio Machado; Flávia de Abreu Augusto Paes.
    Colaboradores: Roberto Airthon Marques Piedade (IPUB/UFRJ); Alair Pedro Ribeiro (IPUB/UFRJ); Dr. Oscar Arias-Carrión, PhD – Phillipps University, Germany; Alexander T. Sack, PhD – Maastricht University, Netherlands
    Orientador: Antonio Egidio Nardi




    Nas últimas décadas, diversas métodos têm confirmado o interesse na investigação destes processos que ocorre no sistema nervoso central (SNC), como por exemplo, a Eletroncefalografia quantitativa (EEGq). Atráves da EEGq utilizando a Perturbação Espectral Relacionada ao Evento ou no inglês “Event-Related Spectral Perturbation” (ERSP) é possível analisar a participação de áreas corticais, como por exemplo, as áreas sensório-motoras em diversas condições experimentais. Esse tipo de método de investigação permite a quantificação e a visualização das oscilações da atividade elétrica cerebral, antes, durante e depois de um estímulo em uma determinada faixa de freqüência e tempo. Com relação à Tomografia Eletromagnética de Baixa Resolução Padronizada ou no inglês “Low Resolution Electromagnetic Tomography” (sLORETA), se determina a origem intra-cerebral das fontes geradoras de uma determinada configuração de campo elétrico captado a partir de eletrodos distribuídos pelo escalpo. Neste sentido, o uso destes métodos facilita o entendimento de como ocorre à modulação de informações no córtex cerebral quando indivíduos realizam, por exemplo, tarefas de manipulação de objetos, de grande importância no campo da reabilitação, principalmente no que diz respeito a pacientes que sofreram um acidente vascular encefálico (AVE). Dessa forma, com o entendimento destes mecanismos seria possível implementar programas de reabilitação para pacientes com lesões neurológicas ou mesmo a criação de novos métodos de reabilitação combinando diferentes técnicas, como a imagética (simulação mental de gestos motores) e a observação de gestos motores (neurônios-espelho) relacionados a tarefas da vida diária. Estas técnicas estão fortemente envolvidas com o processo de integração sensório-motora, onde uma informação sensorial é integrada pelo sistema nervoso central (SNC), e usada para assistir a execução de programas motores. O SNC processa informações provenientes de múltiplos canais sensoriais, e as adapta ao ambiente proporcionando a realização de movimentos direcionados a determinados objetivos, de grande importância para a reabilitação de pacientes com déficits sensório-motores, tais como os que sofreram AVE ou mesmo os que têm autismo. Dentro desse contexto, já está bem fundamentado na literatura que existe um grupo de áreas que são ativadas quando se realiza um determinado movimento e quando se imagina o mesmo, porém ainda não se tem esse consenso sobre quando um indivíduo observa um movimento. Partindo dos princípios anteriormente vistos, o presente estudo tem como objetivo verificar e correlacionar as áreas ativadas em comum entre as condições de movimento real, imaginado e observado, e comparar o nível de ativação entre elas. Para isso será utilizada a perturbação espectral relacionada a evento (ERSP) e a Tomografia Eletromagnética de Baixa Resolução Padronizada (sLORETA), que proporcionariam uma investigação mais ampla dos mecanismos responsáveis pela modulação de informações no córtex. A hipótese de estudo é que serão encontrados tanto, diferentes padrões de atividade elétrica tanto em freqüências baixas como teta (4 a 8 Hz) e alfa (8-12 Hz) quanto em freqüências altas como beta (12 a 35 Hz) e gama (35 a 100 Hz) devido suas relações bastante estreitas com processos sensoriais (i.e., percepção visual, mecanismos proprioceptivos e visuo-espaciais), cognitivo (i.e., atenção, tomada de decisão) e motores (i.e., preparação e execução motora), quanto níveis de ativação muito semelhantes em áreas sensório-motoras e também em áreas associativas, porém com um nível mais baixo para o movimento imaginado e o observado em relação ao movimento real.





  • Ressonância Magnética Funcional


  • Pesquisadores: Gisele Pereira Dias; Marcele Regine de Carvalho; Rafael Christophe da Rocha Freire; Valfrido Leão de Melo Neto
    Orientador: Antonio Egidio Nardi




    Individualizar um modelo neural que compreenda estruturas corticais e límbicas, bem como as estruturas de tronco encefálico e ponte. Será realizado um estudo de ressonância magnética funcional (fMRI) associado a um contexto de alta ansiedade induzida em RV (filme com imagens computadorizadas tridimensionais de um trajeto de ônibus, com gradativa apresentação de contextos ansiogênicos), com 30 pacientes com TP não-medicados (TPNM), 30 pacientes com TP medicados (TPM) e 30 controles saudáveis.


    Participe de Nossas Pesquisas
    Caso queira participar de alguma de nossas pesquisas, a triagem do LabPR funciona no CIPE Antigo do Instituto de Psiquiatria da UFRJ (IPUB).

    Saiba +

    Lançamento do Livro: Transtorno Bipolar
    Caso queira participar de alguma de nossas pesquisas, a triagem do LabPR funciona no CIPE Antigo do Instituto de Psiquiatria da UFRJ (IPUB).

    Saiba +
    Lançamento do Livro: Transtorno Ansiedade Social
    Novo livro da série Teoria e Clínica, uma parceria entre a Artmed Editora e a Associação Brasileira de Psiquiatria, reúne destacados autores nacionais das áreas de clínica, ensino e pesquisa para abordar o transtorno de ansiedade social.

    Saiba +
    © 2012 LABPR - Todos os direitos reservados
    Oberdan de Abreu Araujo | Raphael Oliveira e Oliveira